O ano em que faremos contato

forte010110

Todo blog abandonado ressuscita no primeiro dia do ano. Já é tradição. Renova-se a esperança, blá-blá-blá, você promete atualizar todo dia, mais blá-blá-blá e lengas-lengas bem conhecidas.

Começo 2010 não prometendo qualquer coisa. Também não fiz nem pretendo fazer retrospectiva de 2009 ou da década. Basta dizer que, apesar de o último ano e meio ter sido bem pesado, cheio de provações, no balanço geral, ela foi mais pra boa que para ruim. Ótima, na verdade. Com grandes amores, grandes paixões, grandes descobertas, prêmios, publicações… Não posso reclamar. A última impressão não é a que ficará.

Venho olhando e pensando muito. Mostrando um pouco, escrevendo quase nada. Com uma ponta de saudosismo, amanheci no Forte dos Reis Magos, em Natal (RN), para ver a década nascer. Fotografando, para dividir com vocês esse milagre que se repete todos os dias e que muitos perderam o hábito – se é que um dia tiveram – de vivenciar. Confesso, minha intenção era de que fosse como quinze anos atrás: sozinho, de bicicleta, sentado na beira do Forte, o vento beijando meus cabelos, as ondas lambendo minhas pernas (valeu, Lulu!) e uma sensação de que eu poderia atravessar o Atlântico sem grande esforço.

Chegamos aos anos 10. Estou preferindo agir a falar. Mas, vocês sabem, aqui é o Sempre Algo a Dizer, então pretendo me esforçar e manter a conversa em dia. Não prometo. Ainda mais que estamos em ano de eleição e não quero me comprometer.

Este 2010 é o ano em que faremos mais contato (nem vou agradecer a Arthur C. Clarke, pois esse título é coisa daqui). Sempre em frente. Retomemos a odisséia.

Esta entrada foi publicada em Conversa com o leitor, Fotografia. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 respostas a O ano em que faremos contato

  1. Bendigo suas palavras!
    Quanto às imagens do primeiro nascer e morrer do sol em 2010, bem… só se for no segundo dia, porque o mal tempo nesse lado do atlántico só me deixou ver pesadas nuvens, embora num cinza chumbo de belas tonalidades e dégradés.
    Gostei muito do corte desta tua foto. Parece video! Aliás…
    Aquele abraço

    Salve, velho amigo! Prazer em tê-lo como o primeiro a comentar por aqui na nova década. Chegou a fotografar o céu de chumbo do Porto? Poste. Mande. Aquele abraço.

  2. Ah, Sandro! Espero que este seja um ano de muitos contactos…
    Abraço de ano novo com uma única promessa: quem sabe um café no dia de Reis?!

    Por mim, tudo bem. Não sendo durante a procissão, que pretendo fotografar, e não me obrigando a entrar num shopping, tá valendo. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *