Carlos na Colônia

colonia.jpg

A Escola da Colônia de Pescadores é uma casinha simples que fica na Praia da Pitória em São Pedro da Aldeia (RJ). Das vezes em que estive por aqui, nunca a vi aberta. Foi nela que Doris, filha de Carlos Estevão, fez uma descoberta há algum tempo. Enquanto esperava um atendimento clínico, resolveu mexer em uns pesados livros que estavam por lá. Deu de cara com desenhos de seu pai!

Os volumes eram edições encadernadas de O Jornal Feminino, suplemento de O Jornal, primeiro periódico de Assis Chateaubriand, comprado na década de 1920. No final dos anos 1950, Carlos Estevão publicava nele a série O Casamento Antes e Depois. Dentre os muitos volumes encadernados, Dóris pegou o único que tinha trabalhos do pai, o do primeiro semestre de 1959.

O interessante é que, há três anos, ela mora a pouco mais de cem metros da Colônia de Pescadores. A coleção pertencia a uma senhora que morava na casa da frente e foi doada quando de sua morte. Está lá, fechadinha, esquecida e fenecendo. À espera de que a umidade e o tempo a desintegrem de vez.

Peguei o volume emprestado e estou digitalizando a série, mas na verdade já tenho quase todas, incluindo os anos anteriores. Há mais ou menos dois anos, comprei uma coleção de recortes encadernados somente com essas publicações feitas n’O Jornal Feminino.

Para ver duas delas, basta clicar nas imagens ao lado.

Para ver mais desta e das muitas séries criadas por Carlos Estevão, confira seu site no Memória Viva.

LEMBRANDO: Neste domingo, 5 de julho, tem reprise do programa De Lá Pra Cá sobre O Amigo da Onça. Participei falando sobre Carlos Estevão e a fase em que ele desenhou o personagem. Será exibido às 18h, na TV Brasil. Se na sua cidade não pega, você pode assistir via web.

Logo abaixo em  COMMENTS
Esta entrada foi publicada em Bastidores, Desenho, Memória Viva, Quadrinhos, São Pedro da Aldeia. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 respostas a Carlos na Colônia

  1. joão disse:

    Sandro.
    Como é que pode uma coleção dessas ir parar justamente na vila onde mora a neta do Estevão. Como é possivel? Acho que há uma conspiração do céu mesmo, como diz Paulo Coelho. Ele diz que quando a gente quer uma coisa o universo tdo se movimenta pra nos ajudar. Ou pra complicar, eu acrescentaria. No caso foi pra ajudar.
    abraço
    joão

  2. Wilson Natal disse:

    Sai-se para garimpar em terras distantes e o filão está a poucos metros de nós… É isso ai. Mais um achado para compor a bio do Carlão.
    Abs,
    Wilson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *