Centenário da Imigração Japonesa no Brasil

Josui – Detalhe de ilustração de Mauro para Flor oculta (The Hidden Flower), de Pearl S. Buck, publicada na revista O Cruzeiro, edição de 29 de março de 1958. Naquele ano, comemorava-se o cinqüentenário da imigração japonesa no Brasil.

Escreva-me Logo abaixo em  COMMENTS Clique e cadastre seu e-mail
Esta entrada foi publicada em Aniversário, Memória. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

4 respostas a Centenário da Imigração Japonesa no Brasil

  1. wilson disse:

    Impossível pensar São Paulo sem a presença dos japoneses.Estão também por todo o Estado, em Londrina – no Paraná e tantas outras cidades do Norte e Nordeste fazendo um mundo de coisas e ensinando a gente que a beleza e grandeza estão nas pequenas coisas.
    Vindos do outro lado do mundo para uma terra estranha, de língua estranha, tornaram-se o exemplo da capacidade do ser humano de se adaptar, integrar e conservar a Memória ancestral.
    Tadashi, Takeo, Sendai, Onishi, Matsumoto… O elenco dos meus amigos “nissei”, “sansei” é enorme.
    Hiroshi san, já partiu. Mas deixou para sempre a sua lembrança. Quem ensina que a vida é para ser vivida em toda a sua plenitude não pode ser esquecido.
    Domo Arigato Nippon!

    Abração,

  2. joão antonio disse:

    Eu tenho minhas dúvidas se os japoneses se adaptaram mesmo ao Brasil. Não entro nesta, muito fácilmente, a impressão que tenho é que eles estão aqui de passagem. No fundo querem um dia voltar pro Japão. E não acho nada demais nisto. Creio que a cultura deles é tão forte que mesmo o japones curtindo o Brasil sente saudades de algo que não viveu, estou falando naturalmente das novas gerações, que nasceram aqui no Brasil. Mesmo tendo fortes laços com o Brasil tenho a impressão que eles tem uma nostalgia do país do sol nascente. Nada demais, os negros que vivem hoje no Brasil também uma nostalgia da África.
    abraço
    joão

  3. joão antonio disse:

    Há japoneses que são verdadeiros macunaímas, mas não acho que sejam em grande número. A maioria mantem muito forte a cultura japonesa,l mesmo sendo filho de país nascidos no Brasil. Tenho alguns amigos japoneses que realmente não consigo entender, parece muito distante de mim. O que falo é naturalmente controverso, imagino que outros irão entrar aqui pra dizer justamente o contrário.
    abraço
    e risos amarelos

  4. joão antonio disse:

    Sandro.
    Muito bonita esta ilustração retirada da Cruzeiro, ficou mais legal por teres recortado e colocado apenas um detalhe.
    abraço
    joão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *