Considerações e curiosidades

1. Lição relâmpago de ética. No Fantóxico, matéria sobre o austríaco que, em 1984, prendeu a filha de 18 anos e, desde então, estuprou-a constantemente, fazendo com que ela tivesse 7 filhos. Um deles morreu e o louco queimou o cadáver. Ao final, em dois segundos, uma constrangida Patrícia Poeta arremata com uma frase que deveria servir de lição à imprensa e às autoridades brasileiras: A polícia não divulgou imagens do acusado.

Acusado não, CRIMINOSO. E nem é “suposto”.

2. No mesmo Fantóxico, matéria sobre as manifestações oportunistas em frente ao prédio onde aconteceu o crime da menina. Um cara que se “crucifica” e desmaia, outro que se veste de anjo tentando chamar a atenção para “o caso da família dele que passa necessidade” (e depois vai embora num carro novinho)… só faltou finalizar com: “E nós fazemos parte deste circo mostrando a desgraça e a insanidade alheias. É o show da vida!

3. Sempre me perguntei: E se os descendentes de Che Guevara ganhassem um dólar cada vez que usassem uma foto dele em algum lugar? Não teria para ninguém. Estariam no topo da lista de zilionários da Forbes. Pergunto: E se a mãe de Isabella recebesse um real cada vez que exibissem a imagem da menina ou falassem o nome dela? (Acabou de ganhar mais um)

4. Hoje pela manhã na home do UOL, o portal mais acessado da América Latina: Após reconstituição, polícia irá pedir prisão de pais de Isabella. Dos pais? A mãe vai junto?! Ou ela tem dois pais?! E a madrasta fica solta?! Eu li por volta de 7h30, mas já estava antes. Lá pelas 8h30 absolveram a mãe.

5. A morbidez fez com que a imagem mais repetida nas tevês, durante o domingo, fosse a da boneca-dublê sendo jogada pela janela. Passou mais que gol decisivo do Brasil em final de Copa. A boneca, que custou US$ 2,5 mil não foi jogada. Pelo jeito, vale muito mais que a vida de uma criança. Folha e Estadão combinaram até a localização e tamanho da foto que mostrava o momento-sensação. Juntando tudo, foi uma espécie de “colocaram no YouTube o pay-per-view da garota sendo jogada pela janela”. Big Brother com força.

6. E o padre? Não sei se ele escolheu uma péssima hora para se encontrar com seu chefe e não teve a devida atenção ou se escolheu uma hora ótima e desviou um pouco a atenção do caso da menina. Só sei que, organizando o material para a biografia de Carlos Estevão, encontrei ontem essa página do Amigo da Onça (O Cruzeiro, 10 de fevereiro de 1970). Será que foi ele?

 

E para não perder a piada-mórbida…

7. Que tal mais um terremoto em São Paulo?

Escreva-me Logo abaixo em  COMMENTS Clique e cadastre seu e-mail
Esta entrada foi publicada em Atualidade, Desenho, Imprensa, Jornalismo, Memória, Mundo cão. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

3 respostas a Considerações e curiosidades

  1. Sandro Fortunato disse:

    Atualizando: A polícia ainda não havia divulgado imagens do acusado…
    http://noticias.uol.com.br/ultnot/album/080428_album.jhtm?abrefoto=15

  2. Renata Silveira disse:

    Sandro,
    OBRIGADA!!…
    …Por manter-me actualizada sobre a irrealidade do Brasil real.
    Prefiro “partilhar” a tua leitura deste mundo-cão que a notícia analisada com as paixões da record e globo (são as que nos chegam pela TV).
    Tudo o que tenho visto sobre o caso Isabela(noticias on line inclusive) vem reforçar que o “melhor filtro” para as notícias é o SEMPRE ALGO…
    Continue a dizer-nos…
    Bjo,
    Renata

  3. wilson disse:

    Depois que a FOLHA publicou em 1994 o obituário de Jacqueline Kennedy Onassis, eu não me espanto com mais nada. Na notícia fúnebre constava: Jacqueline era VIÚVA de John Kennedy e de Aristóteles Onassis (AMBOS FALECIDOS)… Existe viuvas/vos de marido/mulher vivos?…

    Ontem a TV Record(aberta) e Record News (cabo) massacraram o expectador sugando até a última gota de sangue do Caso Isabella. Não reprisavam a cena, repisavam,insistiam,apelavam para mais baixo sadismo mostrando a cena da boneca/Isabella sendo jogada pela janela. “Repórteros” e Repórteras” apelativos davam-me vontade de vomitar. E hoje, na mesma TV Record, o apresentador do jornal se desdobrava em conjecturas inúteis e apelativas cenografadas pela cena da boneca/menina. Rasgos apelativos emocionais dirigidos ao público de casa, links dispensáveis, feitos em frente à Delegacia de Santana e troca de informações inúteis entre eles. Tudo cheio de emoção,indignação que, por um passe de mágica, desapareciam quando o apresentador, de muito bom humor fazia o seu “merchandaising” de uma mini-filmadora…

    O padre deve ter ido “para a glória”. Foi em estilo “gay parade” com muito brilho e cores.

    O papi taradão, deveria “puxar uma cana” até o fim da vida. Não tenho pena dele. Ficaria muito feliz se ele fosse enforcado em praça pública.

    Ética é um artigo de luxo na mídia. Falta o respeito pela profissão e o respeito do profissional por si mesmo.

    Falou-se e fala-se tanto dos Paparazzi e a mídia não é diferente. Veja o caso Lady Di: Depois de tantos anos de sua morte, volta e meia explode um “diz-que-diz” sobre ela nas primeiras páginas de jornais.

    Conclusão: A mídia não mais informa. Geralmente desinforma e mente. Inventa…

    Abração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *