A hora e a vez de Jeremias Nascimento

Ele é notícia novamente. E sóbrio. Jeremias José do Nascimento, mais conhecido como Jeremias Muito Louco e pelo Funk do Jeremias, está de volta. E não está feliz. Ainda.

Três anos após ter conhecido a inglória fama via Internet, o caba entrou na Justiça contra dez empresas —UOL, iG, Terra, Globo.com, Google, SBT, dentre outras. Motivo: a veiculação do vídeo que causou danos à sua imagem e rendeu lucro às empresas. Fosse ele, eu processava mil!

O caso de Jeremias aconteceu via TV, mas consagrou-se via web, como o de Ruth Lemos Sanduíche-íche. Esta, em vez de processos, preferiu lançar-se em carreira política. Viagem pura! Como a do Titanic. Já o “supostamente bêbado” (para usar a infeliz mania-não-me-comprometa- jornalística do momento), três anos depois, percebeu o mal que lhe foi causado. Talvez só agora tenha ficado sóbrio. Ou só está sendo SUPOSTAMENTE usado por advogados como foi SUPOSTAMENTE usado pelo jornalista (??!) que derramou seu discurso etílico nas telas de TV de Pernambuco e da terra de Gilberto Freyre para as telas de computador do planeta (mais de 4 milhões de acesso somente em uma postagem no YouTube).

O cão foi quem botou pra Jeremias processar Deus e o mundo. Sendo ele, faria as contas do mal recebido e cobraria de quem o iniciou. Um bêbado é um incapaz. Coisa covarde bater em bêbado. Imagine bater, filmar e mostrar a surra pro mundo inteiro!

Fala-se tanto de ética na TV e ainda se permite a exibição dessas insanidades disfarçadas de programa jornalístico, que expõem ao ridículo pessoas que já pagam o alto preço de ser ninguém. Transformadas em algo, vêem a possibilidade de ser alguém, de ter o que nunca tiveram.

Oxalá, Jeremias ganhe sua causa, encha a burra e tome tudo de cana. Só não vá dirigir bêbado outra vez, Jerê. Há males que vêm para bem, mas isso não acontece o tempo todo.

Esta entrada foi publicada em Atualidade, Jornalismo, Mundo cão. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 respostas a A hora e a vez de Jeremias Nascimento

  1. Agora, você fez uma pergunta pertinente.

    Será mesmo que ele também não está sendo usado por advogados, da mesma forma que foi usado por jornalistas?

    Outra. Será que podemos dizer que na Internet a imagem dele foi denegrida? Acho que sim. Mas também acho que não. O cara virou ídolo de muita gente.

    “Tudo depende da flexibilidade do rabo da lagartixa”.

  2. wilson disse:

    Jeremias está certo. Eploração da imagem dá direito a indenização… E, pagando bem, que mal tem? 🙂

    Está aí, um bom momento para avaliar a ética e a moral da Justiça. Uma bunda global, indevidamente colocada em um site, judicialmente dá uma boa grana. Será que o Jerê consegue “uns trocos”?…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *