Sandro Fortunato, 41 anos, carioca, trabalha na área de comunicação desde os 15 anos, quando entrou para o curso de Jornalismo, na UFRN. Suas atividades principais são a reportagem e a edição. Já trabalhou como repórter no Jornal de Natal, no jornal Dois Pontos e na revista RN Econômico, onde acumulou as funções de fotógrafo, chefe de reportagem e editor. Manteve uma coluna de informática n’ O Jornal de Hoje e colaborou com crônicas para a Tribuna do Norte. Trabalha com editoração eletrônica desde o início da década de 90. Dentre as centenas de impressos que editou, destacam-se os jornais Graúna (88) e Lúdico (92/93) e a revista ISIS.

     Também trabalhou como chefe de reportagem na TV Potengi (Bandeirantes); como fotógrafo nas áreas de moda, eventos, fotografia artística e aérea; no Setor de Recursos Humanos da Coteminas do Nordeste (empresa têxtil) e como assessor de imprensa no Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Norte.

     Mergulhou na Internet em 1995 e, desde então, dedica-se, à produção de sites de conteúdo. Já criou mais de 100 sites pessoais, empresariais e institucionais.

     Em 2001, mudou-se para Brasília. Passou pela Agência Senado e pelo Núcleo de Criação da Subsecretaria de Projetos Especiais do Senado Federal, trabalhando como programador visual até maio de 2003.

     Finalista do iBest nas edições 2003, 2004, 2005 e 2006. Top 3 na Categoria Regional - RN (2003, 2004 e 2006), Top 10 em Arte & Cultura (2005),  vencedor da categoria Arte & Cultura por Votação Popular e Top 3 pelo Júri Oficial em 2005 com o site Memória Viva. Atualmente se dedica a seus projetos pessoais, dentre os quais a recuperação e digitalização de livros, documentos raros e acervos.

     Participou das antologias Câmara Cascudo - 20 Anos de encantamento (2007), Entrelinhas (2008) e Na Kombi (2010). Está escrevendo as biografias dos desenhistas Appe e Carlos Estevão.

     Mantém um blog no qual apresenta textos sobre Filosofia, História, Jornalismo, Cinema, Literatura e muitas histórias pessoais.